Blog

Dermatologia
27 out

Psoríase – Causas e tratamentos

A psoríase é uma doença crônica e não contagiosa, mas que pode afetar negativamente a autoestima do portador.

 


 

Suas características principais são: descamação da região afetada e manchas com a tonalidade avermelhada ou esbranquiçada. As principais regiões afetadas são: couro cabeludo, joelhos e cotovelos. mas também pode se espalhar nas demais regiões do corpo (psoríase cutânea). Somente no nosso país é estimado que aproximadamente 3 milhões de pessoas convivam com essa condição atualmente.

 


 

O que causa a psoríase?
A psoríase costuma surgir normalmente antes dos 30 anos, apesar de muito estudada, ainda não possui suas causas totalmente conhecidas, porém diversos fatores podem influenciar nesse desenvolvimento, como genética, sistema imunológico, assim como interações com o ambiente em que vive e fatores psicológicos como estresse e traumas na região afetada.
Outros fatores agravantes da psoríase podem ser destacados como consumo elevado de bebida alcoólica, medicamentos e problemas emocionais podem ajudar a uma manifestação maior da doença.

 

Tratamentos contra a psoríase
Apesar de não possuir cura, a psoríase pode sim ser tratada, aliviando os sintomas, e devolvendo uma vida normal para o seu portador.
Em casos considerados leves e moderados, é possível controlar a condição através de medicamentos aplicados no local. Vale lembrar, como cada indivíduo tem sua particularidade, a doença também, por isso, antes de iniciar um tratamento é muito importante buscar um médico dermatologista, para que seja identificado o melhor tratamento e acompanhamento do paciente.
Em casos considerados graves, para tratar dos sintomas é indicado a utilização de luz ultravioleta A ou Ultravioleta B, além de medicamentos injetáveis e orais.

 

Alguns outros tratamentos para controlar a psoríase são:
Tratamentos tópicos, utilizam de medicamentos como cremes e pomadas diretamente no local afetado.
Tratamentos sistêmicos, indicados para condições graves ou moderadas, é necessário o uso de comprimidos e injeções.
Fototerapia, em que luzes ultravioletas são utilizadas para auxiliar no tratamento e amenização dos sintomas.

Além dos tratamentos mencionados acima, é indicado que o paciente possua cuidados emocionais, e adote hábitos saudáveis, evitando alimentos químicos, bebida alcoólica e tabagismo como mencionamos anteriormente. Os pacientes que possuam algum dos sintomas, é importante que tenha um acompanhamento regular com seu médico dermatologista para um melhor diagnóstico e estudo da evolução da doença.

 


 

A Cliniderm possui mais de 20 anos de atuação e conta com um corpo clínico especializado em tratamentos estéticos, Lasers e clínicos. Promovendo a saúde e bem-estar de seus pacientes.